quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Arte e Arquitetura no séc XX

A arte e a arquitetura do séc XX se misturam e as cidades passam até planos de desenvolvimento em vez de crescerem aleatoriamente.Há preocupações com a beleza nas cidades e as obras de arte não ficam mais restritas a museus e galerias.Elas passam até forte presença em ruas,praças,estações de metrô e de trens.

A renovação estética proposta pelas vanguardas (especialmente pelo Cubismo, pelo Neoplasticismo, pelo Construtivismo e pela Abstração) no campo das artes plásticas abre o caminho para uma aceitação mais natural das propostas dos novos pensamentos arquitetônicos, baseados na crença em uma sociedade regulada pela Indústria, na qual a máquina surge como um elemento absolutamente integrado à vida humana e no qual a Natureza está não só dominada como também se propõem novas realidades diversas da natural.

A Casa da Cascata, de Frank Lloyd Wright, um ícone da arquitetura orgânica.Logo nas primeiras décadas do século XX tornou-se muito clara uma distinção entre os arquitetos que estavam mais próximos das vanguardas artísticas em curso na Europa e aqueles que praticavam uma arquitetura ligada à tradição (em geral de características historicistas, típica do Ecletismo). Ainda que estas duas correntes estivessem, em um primeiro momento, cheias de nuances e me
A arte e a arquitetura do séc XX se misturam e as cidades passam até planos de desenvolvimento em vez de crescerem aleatoriamente.Há preocupações com a beleza nas cidades e as obras de arte não ficam mais restritas a museus e galerias.Elas passam até forte presença em ruas,praças,estações de metrô e de trens.

A renovação estética proposta pelas vanguardas (especialmente pelo Cubismo, pelo Neoplasticismo, pelo Construtivismo e pela Abstração) no campo das artes plásticas abre o caminho para uma aceitação mais natural das propostas dos novos pensamentos arquitetônicos, baseados na crença em uma sociedade regulada pela Indústria, na qual a máquina surge como um elemento absolutamente integrado à vida humana e no qual a Natureza está não só dominada como também se propõem novas realidades diversas da natural.

A Casa da Cascata, de Frank Lloyd Wright, um ícone da arquitetura orgânica.Logo nas primeiras décadas do século XX tornou-se muito clara uma distinção entre os arquitetos que estavam mais próximos das vanguardas artísticas em curso na Europa e aqueles que praticavam uma arquitetura ligada à tradição (em geral de características historicistas, típica do Ecletismo). Ainda que estas duas correntes estivessem, em um primeiro momento, cheias de nuances e meios-termos, com a atividade "revolucionária" proposta por determinados artistas, e principalmente com a atuação dos arquitetos ligados à fundação da

Bauhaus na Alemanha, com a Vanguarda Russa na União Soviética e com o novo pensamento arquitetônico proposto por Frank Lloyd Wright nos EUA, a cisão entre elas fica bastante nítida e o debate arquitetônico se transforma, de fato, em um cenário povoado de partidos e movimentos caracterizados como tal.ios-termos, com a atividade "revolucionária" proposta por determinados artistas, e principalmente com a atuação dos arquitetos ligados à fundação da

Bauhaus na Alemanha, com a Vanguarda Russa na União Soviética e com o novo pensamento arquitetônico proposto por Frank Lloyd Wright nos EUA, a cisão entre elas fica bastante nítida e o debate arquitetônico se transforma, de fato, em um cenário povoado de partidos e movimentos caracterizados como tal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário